Vibrador portátil Purple Pellet

  •  
  •  
  •  
  •  
Vibrador portátil Purple Pellet - Imagem 1    

* Clique na imagem para ampliar

Variação de Preco:

R$18,19 a R$1349,85

Emily

Roxa

Plástico ABS alto impacto

2,5 cm de diâmetro na parte mais larga e 13,4 cm de comprimento (12 cm penetráveis)

  •  
  •  
  •  
  •  

Poderes

 

Consegue atender a masturbação e a penetração com vibração, seja vaginal ou anal. Pode ser utilizado também para massagens reconfortantes.


Desvantagens

 

Ele é simples, não tem variação de potência, atinge uma área erógena por vez... E como funciona a pilha , é preciso rosquear sua ponta para abrir o compartimento, o que dificulta um pouco a limpeza - é preciso ter o máximo de cuidado para não entrar água na parte da pilha.



Conclusão

 

Gostei do produto pela sua simplicidade, fácil limpeza e formato, que facilita a acomodação em "esconderijos". Não é nenhuma "Brastemp" se comparado com outros vibradores com diversas potências, mas me sinto muito satisfeita quando uso esse vibrador. Aliás, por ele não ser muito chamativo, posso me atrever a fazer uma massagem quando tenho um torcicolo, por exemplo.

 

Testando...

 

Vibrador simples, discreto, que atende as necessidades básicas. Não tem muitos recursos, mas satisfaz tranquilamente brincadeiras e necessidades mais simples.

 

Quando introduzido na vagina produz sensação de prazer sem ter aquela vibração forte - às vezes, em vez de gostarmos da masturbação, alguns produtos acabam causando muito desconforto... No clitóris tive a mesma impressão, e no ânus também!

 

Se for utilizado no seu parceiro - que no meu caso é heterossexual - não vai assustá-lo, nem fazer com que ele se sinta com sua masculinidade invadida quando permitir que utilize o vibrador para massageá-lo (como o produto é leve e simples, só traz sensação de conforto e posteriormente de prazer).

 

Pode ser utilizado para massagem em outras áreas do corpo que não sejam zonas erógenas, como por exemplo para aliviar dores no pescoço, na coluna...

  •  
  •  
  •  
  •  
comments powered by Disqus