Polvo Massageador Octopussy

  •  
  •  
  •  
  •  
Polvo Massageador Octopussy - Imagem 1    
Polvo Massageador Octopussy - Imagem 2    
Polvo Massageador Octopussy - Imagem 3    

* Clique na imagem para ampliar

Variação de Preco:

R$44,90 a R$259,90

Sexônico

Elastômero

Adão e Eva

Um Massageador em formato de polvo com 2 vibradores Bulletes removíveis

  •  
  •  
  •  
  •  

Poderes

 

Ajuda a estimular a lubrificação, preparando o corpo da mulher para a hora da penetração. Porém, no quesito "brinquedo erótico capaz de garantir orgasmos imprevisíveis", o Octopussy deixa a desejar...

 

Desvantagens

 

Nada anatômico e fabricado em elastômero, o massageador em formato de polvo perde pontos justamente porque não é fácil de ser posicionado na vagina. Assim, os estímulos ao prazer ficam prejudicados, obrigando a mulher a ter muita paciência sempre que for brincar com o polvinho. Além disso, o elastômero parece ter baixa durabilidade, justamente por ser poroso demais e dificultar a higienização antes e depois do uso.


Conclusão

 

O Octopussy é bonitinho, simpático e um tanto safadinho. Mas nada que vá surpreender quem já está acostumada a se divertir com os produtos eróticos mais variados.

 

Se você quiser presentear alguém com um mimo diferente, ou ainda não experimentou um brinquedinho para dar um upgrade na masturbação, compensa o investimento. Já se você é expert e quer mesmo descobrir produtos cada vez mais eficientes quando o assunto é prazer dos bons, melhor convidar um amigo e usar o polvo massageador durante as preliminares. Certamente esse é um brinquedo que os homens não precisam temer!

 

 

Testando...

 

Ele chegou embalado em uma caixa muito maior do que seu tamanho pedia. E eu já estava impressionada com as fotos que havia visto sobre o produto, imaginando um super polvo pulando da enorme caixa de papelão direto para o meu colo. Por um momento, meus desejos se acenderam diante da ilusão de ter em minhas mãos um brinquedo novinho em folha que pudesse fazer coisas muito melhores do que meus antigos produtos são capazes de fazer...

 

Mas todo o encantamento inicial diante da caixa de papelão sumiu logo que desembrulhei o produto (leia aqui, no blog do Sexônico, quais foram as minhas primeiras impressões). Eu já conhecera suas formas em fotos espalhadas pela internet, e sabia muito bem que sua fama estava rodando o mundo dos produtos eróticos. Tudo por causa de uma estreia magistral: o papel principal no filme “De Pernas pro Ar 2”, uma comédia que traz à tona os brinquedos eróticos e todos os tabus que rodeiam o assunto.

 

Pois facilmente pude trazer o Octopussy das telonas para a minha cama: foi preciso dar apenas um clique no mouse. Comprei o polvo erótico no mundo virtual, onde ele parecia muito mais robusto e consistente. Por isso, quando veio parar em minhas mãos, não pude conter uma pontinha de decepção... O nome pomposo e difícil de soletrar faz pouco jus à malemolência um tanto exagerada do bichinho. Feito de elastômero, o produto oficial do filme “De Pernas pro Ar 2” parece ter mais desenvoltura contracenando com Alice, a protagonista, do que mantendo-se encaixado entre minhas pernas. Desmilinguido, o Octopussy é formado por 8 tentáculos vibrantes, ativados indiretamente por 2 vibradores Bulletes removíveis. Pelo menos é essa a descrição inscrita na embalagem do produto, um exagero que será confirmado logo que você ativar as cápsulas vibratórias.

 

Modo de Usar

 

Antes de colocar o polvinho para funcionar, é preciso retirar as películas que protegem as baterias do Bulletes. Uma vez conectadas novamente às suas respectivas cápsulas, hora de inseri-las nas partes corretas do Octopussy – o mini vibrador prateado deve ser encaixado dentro da cabeça do polvo, enquanto o mini vibrador roxo é colocado na parte que fica pendendo do cocuruto do brinquedo.

 

Difícil de entender? Não se preocupe. Conseguir descrever como é o Octopussy é tarefa quase impossível. Por isso mesmo gravei um vídeo especial explicando como manejar tantas possibilidades de prazer. Assista agora e leia logo depois quais foram os resultados das minhas experiências mais a fundo com o produto erótico mais imprevisível do mundo!

 

 

Desajeitado até debaixo d´água
 

Desanimada com minha primeira experiência com o Octopussy (que será relatada no final da crítica), fui pesquisar mais informações com amigas que já tinham usado o produto tanto sozinhas, quanto muito bem acompanhadas. As dicas só vieram confirmar minha primeira impressão logo que abri a caixa: o Octopussy começa a ganhar pontos negativos simplesmente porque não vem com um manual de instruções! Ou seja, você desembala o brinquedo toda animada, se depara com um polvo mole e desajeitado, e precisa descobrir quais são seus poderes sem nenhum guia básico indicando os caminhos do prazer.

 

Diante de tanta dificuldade, sem conquistar avanços animadores logo de cara, resolvi testar o Octopussy embaixo d´água. Isso mesmo: se ele não estava “funcionando” direito a seco, melhor aproveitar seu caráter lúdico para desbravar minha vagina durante um banho relaxante.

 

E até que a ideia não foi ruim... O material com que é feito o Octopussy fica muito mais agradável ao toque da pele quando está inteirinho molhado. Aliás, esse é um ponto a ser destacado: o tal elastômero definitivamente não é a melhor opção para a fabricação de produtos eróticos. Macio e suave no contato com os órgãos sexuais, ele fica totalmente melado após o uso. E pior: depois que você lavar o produto, vai ver que ele continua grudando. A sensação não é nada agradável. Ainda mais porque sabemos que é preciso manter os produtos eróticos sempre bem higienizados antes e depois do uso, até mesmo para garantir sua vida útil. Pois meu Octopussy logo será deixado de escanteio, ainda mais se ele continuar grudando nas superfícies em que estiver apoiado. Aliás, guardei o polvinho dentro de um saquinho para deixá-lo melhor acondicionado, e para minha surpresa o saco plástico estava totalmente grudado no produto quando fui libertá-lo do esconderijo.

 

Agora estou até pensando em colocar o polvo como enfeite da minha banheira. Vai ficar uma belezinha! E meu banheiro estará sempre perfumado com o cheirinho de uva que o polvo exala por todos os lados (aliás, essa é outra observação pertinente: ao desembrulhar o bichinho pela primeira vez, você sentirá um forte cheiro artificial e bem desagradável; porém, depois de limpá-lo bem, um aroma de uva misturado com tutti frutti começa a perfumar o ambiente).

 

Sensações Ativadas

 

Antes de comprar o Octopussy, saiba que onde quer que você tente usá-lo vai acabar encontrando dificuldades para manejar o produto com desenvoltura. Desenhado da maneira menos anatômica possível, ele vai te dar trabalho, principalmente enquanto você estiver procurando as zonas erógenas que podem ser estimuladas por todas as partes do polvinho.

 

Seja em pé debaixo do chuveiro, seja deitada confortavelmente na cama, melhor se divertir brincando logo de cara com a cabeça do polvo. Essa é a parte mais eficiente no conjunto da obra. Grande o bastante para massagear a região interna e externa da vagina, a cabeça do polvo e a vibração causada pelo Bullet interno são capazes de estimular a lubrificação rapidinho. Exatamente por isso imagino que ele seja o produto perfeito pra brincadeiras a dois.

 

Quando comecei a ver que o negócio estava causando efeito positivo, introduzi o pingente vibratório no canal vaginal, tentando colocá-lo fundo o bastante para que a cabeça ficasse encostada no clitóris. Eu disse que a operação não era assim tão simples... Mas o fato é que o polvo consegue trabalhar muito bem sozinho, desde que esteja bem encaixado entre as suas pernas. Assim, com duas vibrações estimulando meus sentidos, comecei a ficar mais animadinha com o bichinho. Aí deu até para dar uma gozadinha gostosa depois que retirei o pingente e passei um tempo massageando a vulva e o clitóris com a cabeça do polvo.

 

Sinceramente, não vi graça nenhuma quando usei o polvo da maneira mais óbvia: abrindo seus tentáculos e posicionando a parte interna do brinquedo de forma que o vibrador ficasse encostado no clitóris. A pressão que precisei fazer para que a operação fosse bem sucedida era desconfortável demais... Melhor mesmo deixar o polvo trabalhar sozinho, usando a saliência que une sua cabeça ao pingente para excitar o clitóris.

 

Tenho certeza absoluta de que ter o polvo sempre a postos para incrementar o clima com um parceiro é garantia de diversão antes e depois da transa. Mas assim, sozinha, sem algo mais consistente para aprimorar a masturbação, ficou difícil descobrir a que veio o mirabolante polvo, tão alardeado pela mídia, mas tão pouco eficiente na hora do "vamos ver". 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
comments powered by Disqus