Boneca Inflável

Boneca Inflável

Algumas bonecas infláveis são feitas em vinil ou látex, tendo formato simples, sem imitar as curvas femininas com fidelidade. Outras vêm com mamilos, vagina, pés e mãos feitos em cyberskin. Já as sex dolls podem ser personalizadas para cada comprador! Saiba mais sobre Boneca Inflável

 
1 2 3 4
Próxima

Mais informações sobre Boneca Inflável

As bonecas infláveis modernas e tecnológicas – feitas à imagem e semelhança (e perfeição) das mulheres reais – só nasceram no final do século passado. Porém, sempre existiu na imaginação dos seres humanos a ideia de criar um objeto sexual que substituísse as formas generosas do corpo das mulheres e fosse capaz de satisfazer o prazer dos homens sem deixar a desejar. Ou seja, desde o início da Humanidade o que eles queriam mesmo era construir um artefato para terem companhia quando quisessem...

A lenda de Pigmalião e Galatéia

No ano 8 d.C. o poeta romano Ovídio exteriorizou esse desejo publicando o mito de Pigmalião, que conta a história de um homem que vivia triste e solitário.

Solteiro e sem ter sorte com as mulheres, Pigmalião esculpiu uma bela estátua, manifestando no marfim a imagem da mais bela mulher, que ganhou o nome de Galateia e logo se tornou objeto de sua paixão e devoção. Tão encantado pela mulher de pedra, Pigmalião não conteve seus desejos: aos poucos, começou a tocar toda a formosura de sua criação; depois já lhe dava beijos e carinhos; até que passou a se masturbar com a própria estátua! Mais tarde, claro, vieram os presentes, mimos, flores, joias raras...

Foi então que chegou o dia da festa em homenagem a Afrodite, celebração mais importante da ilha de Chipre. Após fazer suas oferendas à deusa, o pobre Pigmalião lhe fez um pedido: queria que todos os deuses providenciassem que sua esposa fosse muito parecida com a jovem esculpida em marfim. Ouvindo a súplica, a deusa Afrodite se compadeceu e providenciou que o apaixonado tivesse seu sonho realizado.

Voltando para casa, Pigmalião foi logo dar um abraço em sua amada de pedra. No entanto, ao tocar seu corpo antes frio e enrijecido, começou a perceber que as formas tão bem torneadas estavam ganhando vida, até que a estátua lhe retribuiu o beijo ardente.

Lenda de Pigmaleão e Galatéia

Assim, Pigmalião e Galateia viraram personagens de um mito que diz muito sobre as intenções humanas de sempre buscar o par “mais-que-perfeito”, seja ele feito de pedra, borracha, carne e osso, ou mesmo fabricado com o maravilhoso Cyberskin.

A primeira boneca "Sheela-na-gigs"

Ok, ela não era propriamente uma boneca. Mesmo porque naquela época seria difícil fabricar uma boneca, nem que fosse de plástico... O fato é que entre os séculos XI e XII uma imagem bem típica começou a ser incluída entre as pedras que erguiam os muros e as paredes de igrejas construídas na Inglaterra e na Irlanda. A figura ganhou nome complicado (oriundo do idioma céltico): Sheela-na-gigs.

Colocadas nas igrejas para espantar os espíritos do mal, as formas femininas sempre eram modeladas com a vagina protuberante. Tamanho exotismo deu origem a uma lenda também bizarra, segundo a qual acariciar os seios da estátua concedia a benção da cura para quem se aventurasse a tal gesto.

Boneca Sheela-na-gigs em igreja na Europa

Sheela-na-gigsBoneca de pano

Há registros de que no século XV os marinheiros cruzavam os oceanos com uma "Dame de Voyage", ou "Dama de Viagem", especial a bordo. Assim eram apelidadas as bonecas da época, consideradas antecessoras diretas das bonecas infláveis fabricadas atualmente.

Costuradas em pano, recheadas com palha ou algodão e cobertas com roupas simples, elas eram muito usadas para alegrar as viagens dos marinheiros pelos Sete Mares.

Boneca inflável de pano

Catálogos eróticos 

No ano de 1908 os franceses começaram a ver interessantes catálogos circulando pelas ruas de Paris: eram folhetos "eróticos", onde os fabricantes de artigos de borracha anunciavam suas ofertas de imitações artificiais do corpo humano - ou mesmo de partes individuais do corpo de homens e mulheres - especialmente fabricadas para a prática sexual.

Os produtos vendidos na época eram tidos como cavalheiros e damas de viagem e continham um inteligente sistema capaz de imitar a ejaculação. Até a secreção da glande Bartholin era imitada por meio de aparelhos ligados a tubos pneumáticos cheios de óleo.

Exemplar de catálogo de boneca inflável

O projeto Borghild 

A boneca inflável como conhecemos hoje nasceu da mente dos comandantes do nazismo. Sim, a história parece mentira, mas já está documentada em todas as partes. Em meio à 2ª Guerra Mundial, muito preocupados com o andamento dos conflitos em todo o mundo, os nazistas tentavam encontrar uma solução segura para as baixas que sofriam em razão das doenças sexualmente transmissíveis.

Foi basicamente por esse motivo que eles gastaram tanta energia para criar uma boneca capaz de entreter os soldados, e mais importante, que evitasse o contato dos homens em combate com as prostitutas. Assim surgiu o projeto Borghild, capitaneado por Heinrich Himmler, líder da SS (unidade militar a serviço de Hitler).

Considerada como “mais secreta do que o top secret” dos projetos, a ideia de fabricar uma boneca inflável foi colocada em prática em 1941. Tudo sob o comando da Alemanha Nazista. A pedido da própria SS, a boneca deveria ter seios fartos e redondos. Quanto ao rosto, queriam que fosse parecido com a bela imagem de Käthe von Nagy, atriz que fazia muito sucesso na época e encantava os espectadores com seu olhar atrevido e impertinente. Porém, como era de se imaginar, a atriz não aceitou muito bem a homenagem... Foi por isso que o responsável por desenhar as bonecas, Arthur Rink, criou três modelos iniciais: a Typ A, com 168 cm de busto; a Typ B, que teria 176 cm de busto; e a Typ C, com 182 cm de “comissão de frente”.

Boneca inflável do projeto Borghild

Em meio ao desenvolvimento do protótipo, Franz Tschakert sugeriu que fosse criado um rosto que deixasse claro a artificialidade da mulher-boneca. Tschakert teria dito: “A face da nossa máquina antropomórfica do sexo deve ser exatamente como descrito por Weininger (que, por sua vez, pediu um rosto artificial que traduzisse a luxúria): a cara comum da devassidão!”. Para completar o conjunto da obra, a boneca inflável idealizada pelo Nazismo deveria ter longas pernas. E uma loirice exuberante! Finalmente, o modelo da boneca original, Typ B, foi finalizado em Setembro de 1941. E depois de algum tempo foi resgatado por Ruth Handler, que usou a primeira boneca inflável do planeta como inspiração para criar o brinquedo Barbie, que caiu nas graças de uma geração de garotas.

Protótipos revolucionários 

Em Agosto de 1955, Max Weissbrodt, colaborador da empresa Hausser/Elastolin, criou uma das primeiras bonecas sexuais a serem comercializados como tal. A estatueta de plástico tinha 30 centímetros de altura e era chamada de Bild Lilli, homenagem a uma personagem hiper-sexualizada que fazia sucesso no desenho animado "Lilli", notória publicação do jornal alemão Bild Zeitung.

Mulheres Biônicas 

A antiga ideia da robô que toma o lugar das esposas apareceu pela primeira vez no Cinema no filme The Stepford Wives (traduzido como "Esposas em Conflito", ou "As Esposas de Stepford"). Rodado em 1975, o enredo conta a história das mulheres-robô perfeitas que encantavam os homens da exótica cidade de Stepford, nos Estados Unidos. 

Reza a lenda que a atriz Diane Keaton recusou o papel para ser Joana, a protagonista, apenas segundos antes de assinar o contrato. Isso porque seu empresário teria sentido que “más vibrações” vinham do roteiro...

Cartaz do filme As esposas de Stepford

A fita ganhou uma nova versão em 2004, estrelada pelos Hollywoodianos Nicole Kidman, Bette Midler, Matthew Broderick e Christopher Walken. Dessa vez as mulheres-robô eram menos artificiais, e bem menos assustadoras! Tudo consequência dos efeitos especiais, que ajudaram a melhorar bastante a ficção científica.

A boneca inflável em terras brasileiras

No ano de 1976 a boneca inflável desembarcou no Brasil: adquirida em uma Sex Shop no aeroporto de Frankfurt, Alemanha, ela foi trazida para o país justamente para dar sossego a uma senhora que cotidianamente precisava enfrentar o entusiasmo excessivo do marido. Após um mês de uso, a boneca estava imprestável!

Robôs do sexo

A primeira robô do sexo “real” surgiu no começo da década de 1980, quando a empresa britânica Sex Objects Ltda. criou 36C, uma robô que vinha com um microprocessador de 16 bits e um sintetizador de voz, responsável pela habilidade da “boneca” emitir respostas simples aos desejos do parceiro.

Gynoid, a robô 

Em 1985, Gweyneth Jones lançou a novela “Divine Endurance”, onde incluiu a personagem Gynoid, uma robô desenhada para se parecer com uma mulher de verdade. Inspirado pela invenção de nome esquisito, em 1997 o cineasta Mike Myers adaptou a personagem do livro e a incluiu em sua obra prima: Austin Powers. No longa, a Fembot Vanessa foi pensada justamente para incorporar a Gynoid original.

Boneca robô Fembot Vanessa

A ovelha inflável 

Um pouco antes, em 1995, a empresa Muttonbone Productions criara uma ovelha inflável em tamanho real. Anatomicamente perfeita, ela ganhou a alcunha de Ovelha do Amor.

As incríveis Love Dolls reais 

Lançadas pela empresa Real Doll, as "Love Dolls" vieram ao mundo em 1996 supostamente com o objetivo de fazer companhia para pessoas com deficiência física. A versão oficial diz que elas surgiram quando a empresa teve a brilhante ideia e conseguiu importar de Hollywood os efeitos especiais necessários para criar a mais realística boneca inflável que o mundo já viu! E não estamos falando apenas de bonecas, pois a Real Doll também fabrica bonecos com todos os tamanhos reais (sim, incluindo as medidas do pênis!).

É possível escolher cor dos olhos, medidas, tom da pele, tipo de cabelo... E todos os produtos vêm com esqueletos articulados, permitindo incrível mobilidade. Por isso, com as Love Dolls dá para treinar todas as posições do Kama Sutra. Ou pelo menos quase todas...

Completamente customizáveis a gosto do freguês, as Love Dolls são fabricadas com um tipo de material que mistura borracha e silicone, possuindo 10 tipos de corpos diferentes, 16 faces intercambiáveis, opções para a cor dos pelos pubianos, e até marquinha de biquíni. Elas são mesmo impressionantes, e estiveram na 1ª Mostra Internacional de Bonecas Infláveis, realizada pelo Sexônico.

Bordéis de brinquedo 

Mais recentemente, uma empresa japonesa começou a oferecer suas "esposas holandesas" para serem alugadas. O estranho termo é usado no Japão para designar as bonecas sexuais fabricadas com silicone de altíssima qualidade.

O sucesso foi tamanho que em apenas um ano a empresa já tinha mais de 40 lojas espalhadas por todo o país! Com perucas e figurinos especiais disponíveis para serem alugados junto com as bonecas, a hora com essas raridades custava cerca de 140 Dólares.

Boneca canina 

Em 2007 surgiu uma novidade no mercado que deixou muita gente surpresa. Lançada para ser usada apenas por cães, a boneca sexual Hot Doll veio livrar nossas canelas dos cachorros mais assanhados...

Boneca inflável para cachorro

Nessa mesma época era inventado o "Sistema Sexual de Áudio", aparato tecnológico inventado por uma empresa japonesa que usava um MP3 player ligado a um sensor de pressão embutido no peito das bonecas infláveis. Aliás, foi também em 2007 que elas começaram a ser fabricadas com pelos pubianos reais e cabeça destacável.

Robô do sexo

Dois anos mais tarde, os alemães criaram o primeiro Android sexual do planeta. Chamado de Nax, o robô sexual custava cerca de 10000 Euros, era capaz de produzir ejaculação artificial automaticamente e tinha um pênis que sumia também de forma automática.

Novidade revolucionária

No ano de 2010, o Adult Entertainment Expo (evento realizado em Las Vegas, nos Estados Unidos) recebeu o lançamento da primeira boneca sexual com "Personalidade", invenção de Doug Hines, proprietário e designer da TrueCompanion - mesma empresa que havia revelado a boneca Roxxy. Ao preço de 7000 Dólares, a boneca temperamental conseguia reagir aos estímulos tátil e verbal, variando sua personalidade de "Wendy Selvagem" para "Farrah Frígida" em questão de minutos!

Recorde de vendas

Há dois anos, a China bateu todos os recordes vendendo mais de 50 mil bonecas infláveis! Também em 2011, a edição de Maio da revista Future trouxe uma sugestão realista e jamais assumida na imprensa: no ano de 2050, os distritos da luz vermelha já estarão povoados por "prostitutas Android".

Resgate trapalhão

Em 2012, uma boneca inflável foi confundida com uma mulher de verdade e acabou sendo resgatada do Mar Negro em uma grande operação que envolveu equipes de mergulhadores e acabou interditando uma grande faixa de areia nas praias da Turquia.

Exposição inédita 

O Sexônico produz em São Paulo a 1ª Mostra Internacional de Bonecas Infláveis, evento nunca antes realizado em qualquer outro país. A Real Doll Valentina, grande estrela do evento, é apresentada pela primeira vez no Brasil.

Real Doll Valentina